segunda-feira, 18 de março de 2019

Última Hora: Enrique Ponce colhido em Valência


Última Hora - Enrique Ponce foi violentamente colhido pelo quinto toiro desta tarde em Valência, segundo do seu lote, estando nesta momento a ser assistido na enfermaria.
Suspeita-se de que possa ter sofrido uma cornada na coxa esquerda e uma grave lesão no joelho.
No seu primeiro toiro, o Maestro cortara uma orelha.
Diego Ventura foi silenciado no primeiro toiro, perdendo as orelhas por ter pinchado e no segundo cortou uma orelha.
Toñete foi silenciado no primeiro do seu lote, voltou a sê-lo no que matou por colhida de Ponce e está neste momento a lidar o último da tarde.

Foto Simon Casas Productions/aplausos.es

Finito de Córdoba amanhã em Valência a substituir Emílio de Justo


O matador Finito de Córdoba entre nas Fallas de Valência amanhã, na última corrida da feira, a substituir o lesionado Emílio de Justo.
Forma cartel com Román e Ginés Marín (com quem actuou este sábado no Coliseu do Redondo), frente a toiros de Fuente Ymbro.

Foto D.R.


Cerimónias fúnebres de João Franco amanhã em Lisboa


O corpo de João Bonneville Franco, referência e glória do mundo dos Forcados e distinto aficionado, membro do Real Clube Tauromáquico Português, que morreu sexta-feira no Hospital de Santa Maria, vai estar amanhã, terça-feira, a partir das 11 horas, na Igreja de São Mamede em Lisboa, realizando-se uma missa às 14 horas, seguindo-se as cerimónias fúnebres (cremação).
João Franco foi fundador do Grupo de Forcados Amadores de Évora, integrou o grupo Os Saltimbancos e foi depois destacado primeiro-ajuda do Grupo de Santarém, um dos melhores de sempre.
Que em paz descanse.

Foto Maria Mil-Homens

Cartaxo: interessante Colóquio sobre Forcados


Integrado no ciclo de comemorações dos 145 anos da inauguração da praça de toiros local, realizou-se no sábado à noite no Centro Cultural do Cartaxo mais um interessante Colóquio, desta vez sobre "Forcados, a identidade nacional", em que participaram duas antigas glórias da forcadagem, Simão Comenda (histórico elemento do Grupo de Montemor) e José Manuel Pires da Costa (cabo fundador do Grupo do Aposento da Moita) e Bernardo Campino (cabo dos Amadores do Cartaxo), tendo sido moderador o também antigo forcado e crítico tauromáquico João Cortesão.
Um serão interessante, com casa cheia e onde se falou da nobre arte de pegar toiros e das fiferenças de ser forcado ontem e hoje.
No próximo sábado, dia 23, tem lugar o último Colóquio do mês de Março, sobre "o toiro de lide e a sua importância", sendo intervenientes os ganaderos João Santos Andrade (proprietário da ganadaria Prudêncio e presidente da Associação de Criadores de Toiros de Lide), Joaquim Alves de Andrade (ganadarias Pinto Barreiros e São Torcato) e Jorge de Carvalho (ganadaria Jorge de Carvalho), sendo moderador o Dr. Vasco Lucas.

Foto Luis M. Pombeiro


Abertas as inscrições na Escola de Toureio da Azambuja



As 6 pegas de ontem em Santarém

Cinco toiros de Cunhal Patrício e um de Veiga Teixeira, toiros para homens de
barba rija, deram ontem que fazer aos Forcados Amadores de Santarém 
e Amadores de Vila Franca, que levaram o barco a bom porto numa tarde de
grandes emoções e praça cheia (10 mil espectadores) ontem na Monumental
"Celestino Graça"

1ª pega - Ruben Giovety (Santarém)
a dobrar Fernando Montoya
A primeira pega da tarde coube ao valente Fernando Montoya, que sofreu um
violento derrote, caíu mal e ficou inanimado na arena. Não sofreu nenhuma lesão
grave, felizmente, e encontra-se em recuperação. Foi dobrado pelo consagrado
Ruben Giovety Silva, que concretizou a pena na sua primeira intervenção

2ª pega - Vasco Pereira (V. Franca)
Vasco Pereira, cabo do Grupo de Vila Franca, pegou com a galhardia e a técnica
costumeiras, ao segundo intento, o segundo toiro da tarde

3ª pega - António Taurino (Santarém)
António Taurino foi o autor da terceira pega, ao segundo intento. Pega dura e 
grande intervenção do primeiro-ajuda

4ª pega - Rui Godinho (V. Franca)
Rui Godinho numa grande pega, ao primeiro intento, ao quarto toiro da corrida,
único pertencente à ganadaria Veiga Teixeira. Grupo muito bem a ajudar

5ª pega - Francisco Graciosa (Santarém)
Grande a pega de Francisco Graciosa ao quinto toiro da tarde, o melhor da corrida,
que permitiu a volta à arena do ganadero. Esteve enorme o forcado e o grupo
muito bem a ajudar

6ª pega - Francisco Faria (V. Franca)
Dura, difícil e emotiva foi a última pega da corrida, executada à terceira tentativa
pelo consagrado Francisco Faria

Fotos Maria Mil-Homens

Diego Ventura hoje em Valência com Ponce e Toñete


Depois de ter saído em ombros em Olivença no arranque da sua campanha europeia, após a apoteótica temporada no México, Diego Ventura toureia esta tarde na 10ª corrida (mista) das Fallas em Valência, ao lado dos matadores Enrique Ponce e Toñete.
Lidam-se toiros de Los Espartales a cavalo e de Olga Jiménez e Parladé a pé.

Foto Arjona/@Diego Ventura oficial

Canas Vigouroux: o maior curro da temporada a 27 de Abril em Beja



Seriedade e emoção - anuncia-se para 27 de Abril em Beja, na tradicional corrida da 36ª Feira Ovibeja, o mais curro de toiros da temporada, da ganadaria Canas Vigouroux (fotos em cima).
Cartel de alto nível formado pelos cavaleiros Luis Rouxinol e João Ribeiro Telles e pelo rejoneador espanhol Andrés Romero, que abre a sua campanha em arenas portuguesas depois dos êxitos aqui alcançados na temporada passada.
Para pegar os maiores toiros das temporada estarão em praça os grupos de forcados Amadores de São Manços, Real Grupo de Moura e Amadores de Beja.
Uma corrida rodeada da maior expectativa e que este ano é organizada por José Maria Charaz, antigo cabo dos Forcados Amadores de Beja.



1 de Maio: reinauguração da Arena D'Almeirim



11 de Abril: a primeira grande nocturna do Campo Pequeno



Roca Rey em destaque na "Aplausos" desta semana



III Gala da Tauromaquia no próximo sábado na Praia da Vitória



6 de Abril: Festival imperdível na Chamusca!



Dia 30: vamos esgotar Alcochete!



Próximo sábado: Gala do Moço de Forcado abre temporada em Évora



Valência: Castella em ombros na 9ª corrida das Fallas


O matador francês Sebastián Castella saíu ontem em ombros na 9ª corrida das Fallas de Valência, depois de cortar as duas orelhas ao seu segundo toiro. No primeiro fora silenciado.
Diego Urdiales (ovação e silêncio) e Cayetano Rivera Ordoñez (silêncio nos dois) foram os companheiros de cartel, tendo-se lidado toiros de Jandilla e Vegahermosa.

Foto Arjona/aplausos.es


Santarém: a grande vitória (mais uma) da Tauromaquia!

Foto D.R.
Santarém foi outra vez praça cheia, Praça Maior! 10 mil pessoas!
Quem é rei jamais perde a majestade: foi um importante João Moura que ontem
Santarém voltou a aplaudir de pé, como nos tempos áureos nesta praça que
foi sempre "sua". Nesta foto, dando a volta com Rui Godinho, do Grupo de
Vila Franca
António Ribeiro Telles impôs a classe e a maestria de sempre. Destacou-se
sobretudo no quinto toiro de Cunhal Patrício, que lidou de forma soberba. O
ganadero José Romeiras teve merecida honra de volta à arena e o toiro foi
ovacionado quando era recolhido. Nesta foto, Telles, o ganadero, o forcado
Francisco Graciosa e os bandarilheiros João Ribeiro "Curro" e António Telles
Bastos
Atitude e afirmação: Francisco Palha recebeu os seus dois toiros à porta da
gaiola e depois lidou-os com a ousadia costumeira, pisando a linha de risco,
marcando a diferença, dando o mote para uma temporada que vai ser, ninguém
tem dúvidas, de decisiva consolidação. Em baixo, dando a volta com o forcado
villafranquense Francisco Faria


Na Festa já há pouco para inventar. E o segredo foi só um: o grande empenho dos 8 Magníficos que apostaram em reerguer das cinzas a Monumental de Santarém, uma extraordinária promoção com o apoio de todos e o desejo manifestado pelos aficionados de voltarem a ver a histórica praça em alta! O público correspondeu, a gigantesca praça "Celestino Graça" encheu e parecia ontem que tínhamos andado para trás no tempo e estávamos de novo nos anos de ouro da Monumental. De novo de pé, de novo em grande fulgor e de novo Praça Maior!

Há coisas que custam às vezes a entender. E que talvez nem valha muito a pena tentar decifrar. O trabalho está feito. Os 8 Magníficos que deitaram mãos à obra, lavaram a cara à Monumental de Santarém e a voltaram ontem a encher são, à partida, indiscutivelmente, os maiores triunfadores desta histórica jornada. Uma praça com os pergaminhos e a história desta não podia morrer assim de repente. O público correspondeu à chamada de uma fantástica promoção desta primeira corrida - e voltará a corresponder nas próximas, a 10 e 16 de Junho - e encheu a "Celestino Graça" como nos seus maiores tempos de glória.
Mas não foi só isso - a vitória de ter voltado a encher Santarém não teria o mesmo significado se artisticamente o espectáculo não tivesse funcionado. Mas funcionou. Foi um sucesso.
O cartel estava super bem montado. A veterania e a maestria de dois gigantes, João Moura e António Ribeiro Telles, junto à irreverência e à ousadia de Francisco Palha, o cavaleiro triunfador da última temporada e aquele que devolveu a emoção às nossas praças. Dois dos melhores grupos de forcados, os Amadores de Santarém e os Amadores de Vila Franca e um curro de toiros de verdade de Cunhal Patrício, a que se juntou um de Veiga Teixeira.
Moral da história: há praças, houve sempre, que podem "bater no fundo". Mas existem fórmulas para as levantar de novo. A juventude da Associação Praça Maior demonstrou ontem como isso é possível. Que o exemplo de Santarém se repita este ano na Moita, outra praça que certamente voltará a viver o esplendor de outros tempos.
João Moura foi ontem homenageado na "sua" praça, aquela onde um dia deixou a aficion em delírio quando ali se encerrou com sete toiros, aquela que foi depois palco, há 41 anos, da sua recordada alternativa.
Quatro décadas e muita história depois, o Maestro reviveu ontem esses tempos de glória e de euforia. Actuação de nota alta no primeiro toiro, lide templada e de grande maestria com o segundo, o de Veiga Teixeira. Quem é rei nunca perde a majestade!
António Ribeiro Telles impôs a sua arte, a sua classe e também a sua tão distinta maestria frente ao primeiro toiro do seu lote, mas foi no quinto da tarde que deitou a praça abaixo. Grande toiro de Cunhal Patrício, premiado com honras de ovações quando era recolhido e depois com a volta à praça do ganadero José Romeiras. António esteve simplesmente soberbo com o cavalo "Alcochete".
E Francisco Palha, a nova estrela do toureio equestre, marcou a diferença com duas actuações plenas de atitude, de querer, de ousadia e de antes quebrar qur torcer. Recebeu os seus dois toiros com duas espectaculares portas de gaiola, assim como quem diz: "Estou aqui!". E esteve. Não deu "uma banhada" aos Maestros, porque Toureiros como Moura e Telles não levam "banhadas" de ninguém. Mas sobressaiu. Foi outra música que completou a sinfonia dos reis.
Foi, sobretudo, um arranque de temporada marcante para Francisco Palha, depois de no Festival do Dia da Tauromaquia ter por fim quebrado o "enguiço" no Campo Pequeno - a prometer agora uma época de consolidação definitiva como primeira figura do toureio a cavalo.
Nas pegas - de que mais logo aqui mostraremos todas as fotos de Maria João Mil-Homens - estiveram os Amadores de Santarém e os Amadores de Vila Franca.
Ruben Giovety Silva (ao segundo intento, a dobrar Montoya), António Taurino (à segunda, também) e Francisco Graciosa (à primeira) honraram on centenário Grupo de Santarém, enquanto que pelo de Vila Franca foram caras o cabo Vasco Pereira (ao segundo intento), Rui Godinho (à primeira) e Francisco Faria (à terceira). Pegas rijas e emotivas a toiros que pediam e tiveram pela frente homens de barba rija.
A corrida foi bem dirigia, pela primeira vez, por Marco Cardoso, um dos novos "inteligentes", que esteve assessorado pelo médico veterinário Dr. Luis da Cruz. Ao início guardou-se um minuto de silêncio em memória de todos aqueles que partiram recentemente.

Fotos Maria Mil-Homens