terça-feira, 21 de maio de 2019

Ontem, 2ª feira: 16.917 leram o "Farpas"!


Visualizações de páginas de hoje
1 274
Visualizações de página de ontem
16 917
Visualizações de páginas no último mês
376 158
Histórico total 
de visualizações 
de páginas
24 820 400

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Maestro Mário Coelho agita mundo dos forcados



Polémicas declarações do Maestro Mário Coelho sobre os forcados numa grande entrevista publicada na última sexta-feira no jornal "i" estão a agitar o mundo das jaquetas de ramagens e já provocaram grande celeuma nas redes sociais, onde se sucedem os ataques da forcadagem ao histórico bandarilheiro e matador de toiros, de 83 anos, que é apresentado na publicação como o diestro que foi "amigos de estrelas de Hollywood".
Queestionado sobre o tema do mundo dos toiros "estar ligado à pancada e à desordem", afirma o famoso toureiro vialfranquense:
"Isso são os forcados. Isso é outra cultura, outra tauromaquia. Eu digo isto e eles não gostam. O homem é diferente do touro. O touro é valente quando está sózinho mas quando está em manada é dócil, indiferente, nobre. O homem é diferente. Quando está sózinho ‘nai-nai’, quando está acompanhado é valente como o caraças. E os forcados são assim. Quando estão em grupos, os forcados que entram aí numa tasca, num restaurante e partem tudo. Parecem-se como as claques do Benfica, Porto e Sporting. Mas quando estão sózinhos não valem nada".
Estas declarações de Mário Coelho estão a agitar os forcados e a provocar enorme polémica.
Ao "Farpas", o carismático matador que no seu tempo foi considerado o melhor bandarilheiro do mundo, garante que "não disse isso aos jornalistas".
"Foi uma jornalista e um jornalista que foram a minha casa entrevistar-me. A entrevista está gravada e facilmente se pode provar que eu não disse, nem nunca diria, uma coisa dessas. Fui muito amigo do Nuno Salvação Barreto e referi, na verdade, que nos seus tempos havia muitas vezes cenas de pancadaria com forcados, mas que hoje não é assim e até teci as maiores considerações aos forcados, por quem tive sempre uma grande admiração e muita estima. Era impensável que eu dissesse o que veio no jornal. As minhas declarações foram deturpadas", garante o toureiro, acrescentando que "desde sexta-feira, depois de ler isso, tenho andado muito incomodado".

Foto D.R.




Morreu o ganadero espanhol Fernando Domecq Sólis


Vítima de cancro, morreu aos 73 anos no Hospital 12 de Octubre, em Madrid, o ganadero Fernando Domecq Sólis, anterior proprietário das ganadarias Jandilla e Zalduendo.
Era neto de Juan Pedro Domecq, fundador da saga ganadera dos Domecq e filho de Juan Pedro Domecq y Díez e irmão dos também ganaderos Juan Pedro Domecq Solís e Borja Domecq Sólis.
Histórica referência como criador de toiros bravos, a maior memória da sue trajectória foi o indulto do toiro Jarabito em 1999 na Feira de Sevilha, o toiro que imortalizou Emílio Muñoz.
Que em paz decanse.

Foto mundotoro.com


Momentos da corrida de ontem em Évora - pela objectiva de M. Alvarenga

A classe, a pureza e a verdade do toureio-emoção de António Ribeiro Telles
marcou ontem em Évora, com os toiros de Veiga Teixeira e Passanha, os dois
melhores e mais bravos do 60º Concurso de Ganadarias de Évora
Sempre ousado e a arriscar ao máximo: Rui Salvador, 35 anos de gloriosa
carreira nas arenas. Enfrentou ontem com elevado profissionalismo e ainda
não recuperado da lesão no ombros, os toiros de Castro e Pinto Barreiros
Luis Rouxinol esteve enorme com os toiros de Grave e de Núncio
João Ribeiro "Curro", veterano bandarilheiro da quadrilha de António Telles
Arte, classe, valor: o grande bandarilheiro açoreano João Pedro Silva, pilar da
equipa do cavaleiro Rui Salvador
João Bretes, eficiente bandarilheiro ao serviço de Rouxinol, com o toiro de Núncio
Manuel dos Santos "Becas", antigo novilheiro, bandarilheiro da quadrilha
do triunfador Luis Rouxinol, frente ao poderoso e sério toiro de Núncio

Fotos M. Alvarenga

6 de Junho: lembrar Bastinhas em mais uma grande noite no Campo Pequeno



Caldas da Rainha, 1 de Junho: a Tauromaquia ajuda Moçambique



Coruche, 2 de Junho: o gesto de João Ribeiro Telles



Famosos ontem em Évora - pela objectiva de M. Alvarenga

João Cortes (à esquerda) e, atrás, Carlos Grave e sua Mulher, Tejuca
O ilustre ganadero Dr. Joaquim Grave com suas filhas ontem na tarde do regresso
da sia histórica ganadaria, cinco anos depois, à praça de Évora
O antigo empresário da praça de Évora e ex-forcado dos Amadores de
Montemor, Carlos Pegado, com seus filhos
José Manuel Ferreira Paulo (Cachapim) e seu filho Manuel
Pedro Caixinha, treinador de futebol no México, antigo forcado do Grupo de
Montemor, com o também ex-elemento do grupo Manuel Couto
Miguel Alvarenga assistiu à corrida na companhia de Diogo Almada e Pepe
Núncio
Foto Fernando Clemente
Rui Salvador brindou a sua primeira lide aos companheiros de cartel António
Ribeiro Telles e Luis Rouxinol
João Ribeiro "Curro"
João Núncio e Carlos Martins
Francisco Palha, a quem seu primo António Telles brindou ontem um ferro
A nova estrela do toureio a cavalo, António Prates (à direita) assistiu à corrida
acompanhado por seu irmão José Miguel
António José Cardoso, António Alfacinha, Francisco Mendonça Mira e Carlos
Ferreira, a nova equipa empresarial da praça de Évora
O repórter fotográfico Fernando Clemente
A direcção da corrida esteve ontem presidida por Agostinho Borges, assessorado
pela médica veterinária Drª Ana Gomes
Francisco Bissaya Barreto, o grande forcado do Grupo de Montemor que se
lesionou na corrida de Montemor e ontem ainda não se fardou, com o cabo
António Vacas de Carvalho
O jovem "cavaleiro" que acompanhou Luis Rouxinol na volta ao ruedo
Bernardo Salvador, Diogo Almada e Rui Salvador
Atentos: a quadrilha de António Telles, António Telles Bastos e João R. "Curro"
O ganadero Diogo Passanha, que ontem não recebeu, mas devia ter recebido,
o prémio de bravura pelo seu toiro...
Fernando Clemente e Florindo Piteira
José Peseiro e António Manuel Barata Gomes
João Grave e João Bacatelo, João Ribeiro Telles, João Moura Jr. e Concha
Rodríguez e também Benito Moura
José Traquete e Madalena Ribeiro Telles
José Carlos Amorim, o apoderado-eterno de Rui Salvador, um dos grandes
Senhores da nossa Tauromaquia
António Telles com o seu cunhado Diogo Almada
João Bretes, Manuel dos Santos "Becas", Luis Rouxinol  e o Dr. Fernando Ribeiro
Margarida Calqueiro e Rafael Vilhais
Três glórias do Grupo de Montemor: o ex-cabo Paulo Vacas de Carvalho, Luis Neto
e Francisco Borges
António Telles, Rui Bento, Manuel Telles Bastos e Luis Rouxinol Jr.
António José Cardoso, Maria João Mil-Homens e o Dr. António Peças
Diogo Passanha e, à direira, os repórteres João Silva e Armando Alves
Maria João Mil-Homens em acção
Abrilhantou a corrida a fantástica Banda de Alcochete
O grande Mestre dos Mestres: António Palha Ribeiro Telles
A nova equipa da gestão da praça de Évora: António Alfacinha, Margarida Cardoso,
Carlos Ferreira, Francisco Mendonça Mira e António José Cardoso
Fernando Clemente em acção
O Dr. Francisco Santa Bárbara, que acudiu ao cavalo de António Telles que ontem
sofreu uma cornada em Évora quando lidava o toiro de Veiga Teixeira (apesar de
embolado, feriu o equino) e António Telles Bastos, António Telles e António José
Cardoso
Manuel Telles Bastos e Rui Bento
O Dr. António Peças esteve ontem de serviço na praça de Évora. Na foto,
examinando o estado do forcado Ricardo Sousa, depois da sua grande pega
António Telles e seu sobrinho Manuel Telles Bastos, que tem andado a deitar
cartas neste início de temporada e todos esperamos ver chegar aos primeiros
palcos
O ganadero Pepe Núncio e o grande bandarilheiro açoreano João Pedro Silva
Campeões: Luis Rouxinol deu a última volta à arena com um cachecol do seu
Benfica

Fotos M. Alvarenga