sábado, 22 de fevereiro de 2020

"Caso João Moura": João Duarte assume "Gabinete de Crise" em defesa do cavaleiro

Empresário João Duarte assumiu ontem a liderança do "Gabinete de Crise" neste
momento particularmente difícil da carreira de João Moura e defendeu o toureiro
numa entrevista à SIC no "Programa da Cristina"
João Duarte, na foto com João Moura e a actriz Rita Pereira em 2009 na Ilha
Terceira, já foi apoderado de João Moura e assumiu ontem de novo as funções
de assessor do cavaleiro. Em baixo, a primeira página do "Correio da Manhã" de
ontem: Moura condenado na praça pública


O empresário tauromáquico João Duarte, antigo apoderado de João Moura, assume-se agora como seu assessor e lidera o "Gabinete de Crise" no mais difícil momento da carreira do famoso toureiro

Julgado e condenado na praça pública por alegados maus tratos aos seus cães galgos, dezoito dos quais foram apreendidos pela GNR, tendo já morrido uma cadela e estando outro cão em estado crítico, o cavaleiro João Moura, máxima figura do toureio equestre mundial, de 59 anos, vive o momento mais difícil de toda a sua carreira, já com meio século de história e até mesmo no meio tauromáquico há já muita gente revoltada e que o está a "crucificar", pondo em risco a própria continuidade da sua actividade nas arenas.
"Se for verdade que tinha os cães naquele estado deplorável, terá que pagar pelo que fez e dificilmente vai voltar a ser aceite no mundo tauromáquico, apesar da muita importância que teve como grande revolucionário da arte de tourear a cavalo e de ter tido o mundo a seus pés", disse ao "Farpas" um conhecido empresário taurino, salientando que "além do mais, este escândalo não o afecta só a ele, mas também aos seus dois filhos, os também cavaleiros, João Júnior e Miguel e ainda a todo o mundo da tauromaquia, pois vivemos um momento particularmente complicado e uma coisa destas só vem ajudar anda mais a enterrar a Festa Brava".
Já a Associação Nacional de Toureiros, que é presidida pelo antigo cavaleiro Nuno Pardal, veio hoje demarcar-se do número um dos cavaleiros, afirmando que não se podem "confundir atitudes pessoais, que só a este dizem respeito, com a classe profissional a que pertence", frisando que "qualquer tentativa de ligar a tauromaquia, toureiros e aficionados a este tipo de comportamentos é irresponsável e indigna".
A Associação Nacional de Toureiros apela "a que se aguarde o normal desenrolar do processo, bem como das investigações criminais e suas conclusões", deixando bem claro que "repudiamos qualquer ilícito desta ordem que venha a provar-se ter sido cometido por João Moura ou qualquer outro cidadão".
Entretanto, o empresário João Duarte, antigo apoderado do cavaleiro, assumiu desde ontem a defesa de João Moura e apresentou-se como seu assessor numa entrevista à SIC no "Programa da Cristina", onde procurou desdramatizar a situação, apresentando uma nova versão sobre os factos, tentando agora "atirar as culpas" da subnutrição dos galgos para "um trabalhador" da quinta de Monforte que teria "desaparecido" e "não os alimentara devidamente" durante um período em que o toureiro teria estado ausente em Espanha.
Já esta manhã, em declarações ao "Farpas", o antigo apoderado de João Moura pôs mesmo em causa que "alguns dos galgos que apareceram em muitas das fotos que foram exibidas nos últimos dias sejam verdadeiramente os galgos dele". "É uma coisa que vão ter que provar em tribunal através dos ship's dos cães", acrescentou.
Ontem na entrevista à SIC, João Duarte criticou também o facto de a GNR ter apreendido os cães e os ter alegadamente mantido "em péssimas condições numa carrinha de grades dentro da praça de toiros de Monforte", defendendo que "se existiam ordens judiciais nesse sentido, os animais deveriam ter permanecido na quinta, acompanhados por um veterinário da Câmara".
O agora assessor de João Moura alega ainda que "alguns cães estavam de facto doentes e o João não os quis abater, como muita gente faz".
João Duarte acrescenta que Moura está "tranquilo", sente-se "desapoiado", "vive há alguns anos momentos particularmente difíceis do ponto de vista económico", mas "conheço-o à quarenta anos, fartou-se de tourear gratuitamente a favor de instituições de solidariedade, é um homem com um coração enorme e só quem não o conhece pode acreditar que seja culpado numa coisa destas...".
Na internet circulam entretanto duas Petições Públicas, uma exigindo a prisão do cavaleiro e outra defendendo que seja impedido de prosseguir nas arenas a sua actividade profissional.
João Moura não se encontra em Monforte desde que estalou este escândalo. Está em casa "de um amigo" e hoje mesmo vai estar reunido com João Duarte e com o seu advogado, a fim de traçar a sua defesa.
"Neste país é 'normal' julgar-se e condenar-se uma pessoa na praça pública, mas não nos podemos esquecer que, maus ou bons, temos Tribunais e investigadores que deverão agora apurar e esclarecer toda esta situação", diz, a terminar, João Duarte.
João Moura arrisca uma pena de prisão até dois anos, agravada pelo facto de um dos animais já ter entretanto morrrido e também pode vir a ser condenado ao pagamento de uma multa por maus tratos a animais de companhia.
O caso está, enttretanto, a agitar todo o meio taurino nacional, que vive momentos complicados há já algum tempo, agravados agora com a indefinição sobre o futuro da primeira praça de toiros do país, a do Campo Pequeno, em Lisboa.

Fotos D.R.

Associação Nacional de Toureiros emite comunicado sobre o "Caso João Moura"



A Associação Nacional de Toureiros, presidida pelo cavaleiro Nuno Pardal, tomou hoje posição, através deste comunicado, sobre a polémica em torno do cavaleiro João Moura, salientando que não se podem confundir "atitudes pessoais. que só a este dizem respeito, com a classe profissional a que pertence"

1 -Existe uma lei vigente, com um respectivo regime sancionatório sobre maus tratos a animais de companhia, que apoiamos. Repudiamos qualquer ilícito desta ordem que venha a provar-se ter sido cometido por João Moura ou qualquer outro cidadão;

2 - O cavaleiro João Moura é um artista com uma carreira extraordinária no campo da tauromaquia em Portugal e, também, no resto do mundo;

3 - Não se confundem atitudes pessoais, que só a este dizem respeito, com a classe profissional a que pertence. Qualquer tentativa de ligar a tauromaquia, toureiros e aficionados a este tipo de comportamentos é irresponsável e indigna;

4 - A Associação Nacional de Toureiros apela a que se aguarde o normal desenrolar do processo, bem como das investigações criminais e suas conclusões.

Associação Nacional de Toureiros

Foto D.R.

Já só falta uma semana!



3 corridas e vários eventos assinalam este ano o centenário da praça de Salvaterra de Magos



Vários eventos vão assinalar este ano o primeiro centenário da praça de toiros de Salvaterra de Magos, que foi inaugurada a 1 de Agosto de 1920.
Entre eles (programa ao lado), três exposições: "Ana Batista: 20 anos de alternativa" (será inaugurada a 1 de Março na Falcoaria Real), "Factos e Figuras da Festa Brava" (inaugurada a 9 de Maio na Biblioteca Municipal) e "A Toirada no Século XVII" (aguarelas de Alberto Souza, que será inaugurada a 31 de Outubro na Biblioteca Casa de Bragança e ficará patente até Janeiro de 2021).
Entre outras actividades, haverá no dia 4 de Setembro na Biblioteca Municipal um colóquio sobre "As Misericórdias na gestão das praças de toiros".
No que a corridas de toiros diz respeito, o empresário Rafael Vilhais, adjudicatário da praça, anuncia o primeiro espectáculo para 10 de Maio (Concurso de Ganadarias na Corrida dos Agricultores de Tomate do Ribatejo), a Corrida do Centenário a 31 de Julho e uma terceira, a Corrida da Solidariedade, esta uma organização conjunta do empresário, da Santa Casa de Salvaterra e da União das Misericórdias e que se realizará a 5 de Setembro.

Foto M. Alvarenga


Ontem, 6ª feira: 10.722 leram o "Farpas"!


Visualizações de páginas de hoje
1 807
Visualizações de página de ontem
10 722
Visualizações de páginas no último mês
298 546
Histórico total 
de visualizações 
de páginas
27 824 225

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Manuel Jorge dos Santos desdramatiza situação da praça das Caldas: "Vai abrir na época habitual"



Manuel Jorge Diez dos Santos falou ao "Farpas" sobre o caso da praça de toiros das Caldas da Rainha que, como noticiámos esta tarde, se encontra interditada depois da última vistoria da Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC) por necessitar de obras

Começando por esclarecer que a praça de toiros das Caldas da Rainha "não é minha propriedade, mas sim da Sociedade Alfredo Ovelha, Lda, da qual sou só um accionista", Manuel Jorge Díez dos Santos (foto ao lado) confirma que "na última inspecção foram exigidas algumas obras, como aliás tem sido habitual quase todos os anos e é natural numa praça centenária", mas desdramatiza a situação afirmando:
"Essas obras serão certamente realizadas e a praça poderá abrir na época habitual, como tem acontecido todos os anos".
A praça das Caldas, recorde-se, nos últimos anos gerida pelo empresário Rafael Vilhais, abre habitualmente a temporada com uma corrida no mês de Maio, outra em Julho e outra em Agosto, na data tradicional de dia 15.

Fotos D.R.





6, 7 e 8 de Março: todos os caminhos vão dar a Olivença!




Praça das Caldas da Rainha interditada pela IGAC



A centenária praça de toiros das Caldas da Rainha foi interditada depois de recente vistoria da Inspecção-Geral das Actividades Culturais e só poderá reabrir depois das obras aconselhadas e que estão orçadas em cerca de 30 mil euros

Mais uma praça em risco de ficar fechada, num momento particularmente difícil para a Tauromaquia, depois do encerramento das praças de toiros de Viana do Castelo, Póvoa de Varzim e Setúbal, da indefinição que paira sobre o Campo Pequeno e agora tudo mais agravado ainda com o escandaloso caso dos galgos de João Moura, o cavaleiro de referência nos últimos cinquenta anos, julgado e condenado na praça pública por um caso que está a revoltar e a agitar o mundo taurino nacional e não só.
A centenária praça das Caldas da Rainha, inaugurada a 13 de Junho de 1883, foi "chumbada" na recente vistoria (anual) da IGAC e para reabrir precisa de obras que, segundo o seu concessionário, o empresário Rafael Vilhais (foto ao lado), "podem ascender a mais de 30 mil euros".
A praça, muitos anos gerida pelo saudoso empresário Alfredo Ovelha e mais recentemente por Paulo Pessoa de Carvalho e nos últimos anos por Rafael Vilhais, é propriedade de Manuel Jorge Díez dos Santos, filho do saudoso matador de toiros e empresário Manuel dos Santos. É palco todos os anos de três corridas, pelo menos, uma em Maio, outra em Julho e a tradicional data de 15 de Agosto.
Rafael Vilhais não sabe ainda "o que se vai passar" nem quando se vão iniciar as obras - e a cargo de quem, se dele, se do proprietário.
"A corrida de Maio pode ser que não seja possível ainda realizar, mas espero que as duas seguintes se concretizem", disse-nos o empresário.

Fotos D.R. e Emílio de Jesus/Arquivo




Alcochete, 7 de Março: mais de 1.000 bilhetes a menos de 15€!



Irmãos Ortiz, proprietários da praça de Olivença, são os novos apoderados do matador Ginés Marín


Os irmãos Jacinto e Jesús Ortiz, proprietários da praça de toiros de Olivença, são os novos apoderados do matador Ginés Marín, que há um mês se separou de José Cutiño e da Fusión Internacional de Tauromaquia (FIT), a que se encontrava ligado há cinco anos, desde a sua campanha de novilheiro sem cavalos.

Foto aplausos.es

Emiliano Gamero: a Revolução chega ao Cartaxo a 1 de Maio


"A Revolução apresenta-se no Cartaxo!" - é assim que o empresário Luis Miguel Pombeiro (Ovação e Palmas) anuncia a presença da nova figura do rejoneio mexicano Emiliano Gamero na tradicional corrida de 1 de Maio na praça de toiros do Cartaxo.
A restante composição do cartel será em breve anunciada.

Foto D.R.


Rui Fernandes no dia 29 na reinauguração da praça sevilhana de Constantina



Rui Fernandes inicia a sua temporada espanhola actuando no próximo dia 29 na corrida de reinauguração da centenária praça de Constantina (província de Sevilha), a mesma em que há 73 anos (10 de Agosto de 1947) tomou a alternativa, apadrinhado por António Bienvenida, o segundo matador de toiros português Augusto Gomes Júnior.
Nesta praça, inaugurada no ano de 1902, fez o seu debute o rejoneador Rafael Peralta e por ela passaram toureiros tão importantes como Juan Belmonte, Manolete, Pepe Luíz Vásquez e Carlos Arruza, entre muitos mais.
A praça, que esteve uns anos desactivada, foi totalmente recuperada e remodelada pela Junta de Andaluzia com fundos da Diputación de Sevilha através do Planes Supera. A sua lotação foi ampliada para três mil espectadores.
Nesta corrida de reinauguração, que será precisamente no Dia da Aandaluzia (e no dia em que em Lisboa se vai celebrar no Campo Pequeno o Dia da Tauromaquia), o cavaleiro Rui Fernandes reparte cartel com os rejoneadores Leonardo Hernández e Lea Vicens frente a toiros da ganadaria de Fermín Bohórquez.

Fotos NTR Toros e D.R.

Francisco Palha no Campo Pequeno no Dia da Tauromaquia



Francisco Palha vai estar um ano mais no festival do Dia da Tauromaquia no próximo sábado 29 no Campo Pequeno, um dia em que "conseguimos estar todos unidos", afirma o cavaleiro

- Como é estar presente em mais uma edição do Dia da Tauromaquia?
- Estar presente no Dia da Tauromaquia é sempre uma satisfação! Tenho um objectivo que nos une e nos é comum, tentar levar algo que é tão nosso para a frente!

- O que mais gostas no Dia da Tauromaquia?
- O que mais gosto no Dia da Tauromaquia é, sem dúvida, a união! Não acontecendo sempre, neste dia conseguimos estar sempre unidos. Relativamente ao que mais gosto das actividades ao longo do dia, é naturalmente o Festival Taurino.

- Numa altura de plena afirmação, que conselho deixas a quem queira ser toureiro?
- Aconselho que sigam o coração e, se gostam verdadeiramente,  não tenham medo de o dizer!

- Quem é o teu toureiro de referência? Porquê?
- Para mim todos os toureiros são uma referência, de todos tiramos algo, positivo ou negativo, e aprendemos com todos um pouco!

- Quais são as tuas expectativas para o Dia da Tauromaquia em 2020?
- Espero um dia de grande êxito e, como sempre, cá estou para ajudar naquilo que puder!

Foto M. Alvarenga

Sábado de Páscoa: um dia dedicado à Tauromaquia na Amareleja



A empresa Casa do Toureio, de Rui Gato Rodrigues, divulgou hoje o programa completo de um dia dedicado à Tauromaquia que vai ter lugar, como anteriormente noticiámos, no sábado de Páscoa, 11 de Abril, na Amareleja.
Além da Corrida de Beneficência e Homenagem ao Nuno de Carvalho "Mata" (cartel ao lado), existirá um conjunto de iniciativas que serão uma mais valia para que os aficionados possam passar um dia entre familia e amigos, com demonstração de toureio de salão a cargo dos alunos da Escola de Toureio da Moita; colóquio sobre "Os Valores da Tauromaquia" com a participação de Nuno "Mata", Ricardo Cabral e Ana Branco; e um almoço convivio da afición em redor da praça de touros com tasquinhas e animação musical, terminando o programa com uma excelente corrida de toiros.


Forcados de Arronches têm amanhã terceiro treino do ano


O grupo de forcados Amadores de Arronches realiza amanhã, sábado, o seu terceiro treino do ano de preparação para a próxima temporada.
O treino vai ter lugar a partir das 10h00 na praça de toiros de Cabeço de Vide com reses da ganadaria Cabaço.

Foto D.R.

Juan José Padilla distinguido pelo Club Taurino Italiano

O matador Juan José Padilla acaba de ser galardoado pelo Club Taurino Italiano com o V Prémio Ópera Taurina em reconhecimento pela sua heróica trajectória de esforço, superação e vitórias.
O toureiro receberá o honroso galardão no próximo dia 28 de Março em Itália, depois de em anos anteriores terem sido premiados os matadores Santiago Martín "El Viti", Paco Ojeda, Francisco Ruiz Miguel e o ganadero Victorino Martín.

Foto Frederico Henriques/@Campo Pequeno

Manuel Díaz "El Cordobés" regressa às arenas


O matador de toiros espanhol Manuel Díaz "El Cordobés" vai regressar às arenas depois de ter estado quase dois anos parado devido a uma lesão que o obrigou a submeter-se a uma longa recuperação.
O toureiro será apoderado pela empresa Tauroemoción e Alberto García será quem vai dirigir a sua carreira a partir de agora, continuando seu irmão Chema Díaz como seu homem de confiança.
Nos próximos dias será anunciada a data e a praça da reaparição de "El Cordobés", bem como os projectos do toureiro e seus apoderados para a presente temporada.
Manuel Díaz toureou pela última vez a 19 de Maio de 2018 em Palma del Río, onde cortou três orelhas e um rabo.

Foto D.R.

"Fonsi" rumou ao México, onde debuta no próximo dia 29



O jovem novilheiro luso-espanhol Alfonso Ferreira "Fonsi", aluno do Maestro "El Fundi" na Escola de Tauromaquia de Madrid, rumou hoje ao México, onde vai debutar no próximo dia 29 em Caxuxi (Hidalgo) junto a Sebastián Ibelles, José Miguel Arellano e Pablo Paez com novilhos de Yeralda.
Na foto, "Fonsi" esta manhã no Aeroporto de Barajas. Madrid.

Foto D.R.

Toureio a pé regressa à Azambuja na corrida da centenária Feira de Maio



O toureio a pé regressa à praça de toiros da Azambuja na tradicional corrida da centenária Feira de Maio, que será n o dia 31 às 17h00 - uma organização da empresa Ovação e Palmas de Luis Miguel Pombeiro.
A corrida será mista e vão marcar presenças dois ases das bandarilhas, o matador Nuno Casquinha (foto de cima) e o novilheiro Diogo Peseiro (foto ao lado).
A cavalo actuam António Maria Brito Paes, Marcos Bastinhas, Duarte Pinto e o praticante Manuel de Oliveira, que no ano passado venceu nesta corrida o troféu da melhor lides.
As pegas estarão a cargo dos grupos de forcados Amadores da Azambuja e Aposento da Moita.
Lidam-se seis toiros da ganadaria Fontembro, de José Lavrador.

Fotos Camalles/Nuno Casquinha/Facebook e Nuno Almeida/tauronews.com



Sábado, 29: que ninguém falte ao Dia da Tauromaquia!



Ontem, 5ª feira: 13.749 leram o "Farpas"!


Visualizações de páginas de hoje
23
Visualizações de página de ontem
13 749
Visualizações de páginas no último mês
293 401
Histórico total 
de visualizações 
de páginas
27 811 719

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Futuro do Campo Pequeno: ProToiro já pediu reunião com a nova administração

Hélder Milheiro ontem à tarde no Salão Nobre do Campo Pequeno, momentos
antes da conferência de imprensa da ProToiro, à conversa com Paulo Pessoa
de Carvalho (de costas). Em baixo, um aspecto da sala


Hélder Milheiro, da ProToiro, falou pela primeira vez da preocupação que existe face à incógnita que paira sobre o Campo Pequeno. Em declarações a Rui Lavrador, do site Infocul, revelou que a Federação já pediu uma reunião à nova administração da praça

No final da conferência de imprensa de apresentação do Dia da Tauromaquia, que ontem decorreu no Salão Nobre do Campo PequenoHélder Milheiro revelou ao site Infocul, que “nós (ProToiro) já contactámos a administração, fizemos um primeiro contacto. Está combinado ser marcada uma reunião, em breve. No entanto não deixamos de ter alguma preocupação pois achamos que há um silêncio excessivo neste momento”.
“Compreendemos que a empresa possa ter alguma reserva e preparar aquilo que quer apresentar, mas achamos que o tempo está a passar e achamos que a empresa já devia ter feito algum pronunciamento e elucidação sobre os seus projectos relativamente à tauromaquia”, acrescentou.
Quando questionado se este pedido de reunião tinha sido dirigido a Álvaro Covões, Milheiro respondeu que o foi “à administração do Campo Pequeno, claro”.

Fotos Maria Mil-Homens

Alcochete, 7 de Março: mais de 1.000 bilhetes a menos de 15€!



5.000 bilhetes a menos de 15€ na Monumental de Santarém!


Campo Pequeno: Paula Resende esteve na conferência de imprensa, mas apenas como espectadora...



Paula Resende, administradora da insolvência do Campo Pequeno, acabou por marcar presença na conferência de imprensa da ProToiro que hoje decorreu no Salão Nobre da praça de toiros (foto de cima), mas apenas como "espectadora", sentando-se entre a (pouca) assistência, sem usar da palavra e sem ter sido questionada sobre nada.
O futuro do Campo Pequeno foi tema tabu neste encontro da ProToiro com os jornalistas, apenas abordado ao de leve pela jornalista Débora Godinho, do site tauronews.com, quando questionou o cavaleiro António Ribeiro Telles (foto ao lado) sobre a possibilidade de o Dia da Tauromaquia constituir a sua última actuação na Monumental de Lisboa.
António Telles referiu que tinha o maior gosto em estar neste festival do próximo dia 29, que já toureara 100 corridas no Campo Pequeno e que esperava ainda tourear outras 100...
E mais ninguém disse nada quanto ao futuro - cada vez mais incerto e mais nublado - das touradas na primeira praça do país...
Incrível...

Fotos Maria Mil-Homens

Campo Pequeno: conferência de imprensa da ProToiro com ausência notada da administração da empresa...

Hélder Milheiro, Paulo Pessoa de Carvalho e Nuno Pardal representaram a
ProToiro na mesa da conferência de imprensa de hoje, sem nenhum membro
da nova administração do Campo Pequeno, nem da antiga
Luis Rouxinol Jr., António Ribeiro Telles, Ana Batista, José Luis Gomes e
Diogo Durão na primeira fila

Sem a presença de ninguém da nova administração do Campo Pequeno, nem da anterior, decorre ainda neste momento no Salão Nobre da praça de toiros a conferência de imprensa da ProToiro, com poucos jornalistas presentes, onde foi apresentado o programa detalhado do próximo Dia da Tauromaquia, que ali decorrerá no sábado 29

Decorre ainda neste momento a conferência de imprensa da ProToiro no Salão Nobre do Campo Pequeno para apresentação do Dia da Tauromaquia.
Hélder Milheiro (secretário-geral da Federação ProToiro), Paulo Pessoa de Carvalho (presidente da Associação de Empresários Tauromáquicos) e Nuno Pardal (presidente da Associação Nacional de Toureiros) são os três elementos que estão na mesa, havendo ainda a acrescentar entre a assistência as presenças de três dos toureiros que actuarão no festival taurino, os cavaleiros António Ribeiro Telles, Ana Batista e Luis Rouxinol Júnior, bem como de dois antigos elementos dos dois grupos de forcados que compõem o cartel, Diogo Durão (o novo presidente da Associação de Forcados, antigo elemento do Grupo de Santarém) e José Luis Gomes (ex-cabo do Grupo de Lisboa).
Entre a assistência, estão alguns fotógrafos e poucos representantes dos orgãos de comunicação taurinos nacionais. Esteve também António de Sousa Duarte, que no Dia da Tauromaquia lançará o seu livro biográfico do Maestro Mário Coelho (que será apresentado por Manuel Alegre e o antigo jogador benfiquista António Simões) e está ainda Pedro Coelho dos Reis, cabo dos forcados do Aposento da Chamusca.
Foi apresentado em detalhe o programa do Dia da Tauromaquia, que ontem, aliás, fora já divulgado pela ProToiro.
Estranhou-se a ausência de qualquer membro da nova administração da empresa, bem como da anterior, com a qual foi ainda negociada e acertada a realização deste Dia da Tauromaquia. Ausências também notadas as de Rui Bento e de Paulo Pereira, que usualmente e em anos anteriores integravam por norma a mesa de qualquer conferência de imprensa relacionada com a actividade tauromáquica do Campo Pequeno.
Tempos de mudança...

Fotos M. Alvarenga

Imprensa espanhola mais preocupada que a portuguesa quanto ao futuro do Campo Pequeno...



Muito mais que a portuguesa, a imprensa espanhola manifesta a sua preocupação quanto ao futuro do Campo Pequeno e o assunto é tema do Editorial da revista "6 Toros 6" desta semana

"Incerteza sobre o Campo Pequeno" é o título do Editorial de Alfonso Santiago na revista espanhola "6 Toros 6" desta semana (em cima).
"As dúvidas seguem sobrevoando sobre se o novo proprietário do Campo Pequeno, o empresário e produtor musical Álvaro Covões, tem dentro dos seus projectos seguir mantendo vivo o toureio nesse extraordinário edifício", escreve o articulista, acrescentando:
"O inteligente seria fazê-lo, pois os dados nesse sentido foram positivos, além disso, a gestão, o trabalho e a dedicação de Rui Bento, que esteve à frente da gerência desta praça desde 2006, seriam suficientes para poder dar-lhe continuidade se Covões quisesse que formasse parte da sua equipa para gerir as corridas".
Também a revista "Aplausos" (ao lado) manifesta na sua edição desta semana a preocupação pelo facto de "a praça de toiros de Lisboa estar a viver uma situação atípica  e não menos inquietante", referindo que "não são nada esperançosas" as primeiras palavras de Covões quando disse que "o meu campo de acção é a música, não os toiros".
Quanto à preocupação da imprensa lusa, exceptuando o "Farpas" e o site touroeouro.com, os únicos que na medida dos possíveis têm trazido a público as notícias que todos silenciam... nós por cá, todos bem?...

Foto Guilherme Alvarenga