sexta-feira, 3 de julho de 2020

Desinfeções Anti-Vírus - Serviço 24h em todo o país - ligue 915 063 500 ou 969 079 297



Ontem, 5ª feira: 8.299 leram o "Farpas"



Visualizações de páginas de hoje
70
Visualizações de página de ontem
8 299
Visualizações de páginas no último mês
244 304
Histórico total 
de visualizações 
de páginas
28 947 064

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Diana FM (Évora): programa "Rádio Olé" regressa amanhã com grande entrevista a Hélder Milheiro



O "Rádio Olé", magazine de tauromaquia da Rádio Diana de Évora, da responsabilidade de Luis Gamito, regressa amanhã, sexta-feira, depois de uma paragem forçada pela pandemia.
Hélder Milheiro (foto), secretário-geral da Federação PróToiro, é um entrevistado nesta emissão de regresso à antena para falar do panorama que toureiros e ganadeiros atravessam, bem como da viabilização das corridas de toiros com capacidade de pelo menos 50% da lotação das praças.
Amanhã, a partir das 17h00, oiça o programa na frequência 94.1 fm ou aqui na internet em www.dianafm.com

Foto D.R.

Corrida Anual dos Toureiros há 50 anos no Campo Pequeno


Naquele tempo havia habitualmente uma corrida de toiros no Campo Pequeno, organizada pelo Sindicato dos Toureiros, a favor do Fundo de Assistência. Sempre com um grande cartel e às vezes até com picadores. Tempos outros...
A Corrida Anual dos Toureiros, assim se denominava, que hoje aqui recordamos através deste programa dado à estampa por Fernando Pereira/Tauromaquia Portuguesa no Facebook, aconteceu há 50 anos.
Nessa noite de 2 de Julho de 1970, com a presença do ministro das Corporações e da Saúde e Assistência, lidaram-se seis toiros de Pinto Barreiros e actuaram os matadores José Júlio, Armando Soares, José Simões, Amadeu dos Anjos, Mário Coelho e José Falcão.
Tempos de uma era de glória do nosso toureio a pé. 
Mas isso foi há meio século...

Pessoa de Carvalho continua na APET com Levesinho



Amanhã realizam-se as eleições para os novos corpos dirigentes da APET. Levesinho será o novo presidente, mas Pessoa de Carvalho mantém-se, agora como presidente da Assembleia-Geral

Paulo Pessoa de Carvalho (foto ao lado) vai continuar na Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos, agora como presidente da Assembleia-Geral, depois de nos últimos catorze anos ter assumido a presidência da Direcção.
O antigo forcado integra a única lista candidata às eleições para os novos corpos directivos da APET, que terá como futuro presidente Ricardo Levesinho (foto de cima).
Da lista fazem ainda parte, como candidatos a vice-presidentes, os empresários Rafael Vilhais e Margarida Cardoso, filha do saudoso "Nené" (Toiros & Tauromaquia).
O empresário e ganadeiro Engº Jorge de Carvalho integra também a única lista concorrente e será o novo presidente do Conselho Fiscal da APET.
As eleições vão ter lugar amanhã durante a Assembleia-Geral da APET que se realiza ao final da tarde em Vila Franca de Xira.

Fotos Emílio de Jesus/Arquivo e D.R.

Desinfeções Anti-Vírus - Serviço 24h em todo o país - ligue 915 063 500 ou 969 079 297



Tomar: Santa Casa e Aplaudir oficializam cancelamento da temporada


A Santa Casa da Misericórdia de Tomar e a empresa Aplaudir confirmam em comunicado o cancelamento da temporada na sua praça, como já esta semana nos havia adiantado o empresário João Pedro Bolota

A Santa Casa da Misericórdia de Tomar, proprietária da Praça de Toiros de Tomar e a Empresa Aplaudir, Eventos Unipessoal, Lda, de João Pedro Bolota, arrendatária da mesma, têm em conjunto vindo a avaliar as condições da evolução da pandemia, criada pelo Covid-19, bem como as recomendações da DGS - Direcção Geral de Saúde e do IGAC - Inspecção Geral das Actividades Culturais.
Assim, mesmo que a vontade conjunta das duas entidades seja a da promoção de espectáculos na referida praça, nomeadamente touradas, entendem que perante a actual situação da evolução da pandemia, não estarem criadas as necessárias condições de salvaguarda da saúde publica, que permitam em segurança, a realização de espectáculos nos próximos meses.
Assim, decidiram ambas as partes comunicar que no ano 2020 não se realizam espectáculos na Praça de Toiros de Tomar, desejando que em 2021, voltem a Tomar, com tradição e qualidade.

Santa Casa da Misericórdia de Tomar/Aplaudir

Foto D.R.

Covid-19: mais 8 mortos e 328 infectados, 273 na região de Lisboa e Vale do Tejo


O número de mortos e infectados por coronavírus voltou a subir nas últimas 24 horas em Portugal. Esta quinta-feira, no Boletim Epidemiológico da DGS contam-se mais 8 mortos e mais 328 infectados com covid-19.
O número de casos confirmados de infecção com coronavírus em Portugal é agora de 42.782 e o número de óbitos pela doença é de 1.587.
Dos novos casos de infecção, 273 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, o que corresponde a 83,2% do total.
Regista-se ainda aumento no número de casos recuperados, com mais 299, sendo que no nosso país já recuperaram, até ao momento, da covid-19, um total de 28.097.
O número de internados aumentou para 510, mais sete que ontem, e o número de doentes em Cuidados Intensivos diminuiu 2.

Fonte: "Correio da Manhã"/DGS

As delícias de amanhã, 6ª feira, no "Solar das Carnes" (Odivelas)


JÁ REABRIMOS AO PÚBLICO (50%)
e também em TAKE-AWAY

AMANHÃ, 6ª feira 
no “Solar das Carnes” (Odivelas)

PERNIL ASSADO NO FORNO
e FRANGO FRITO 
C/ARROZ DE FEIJÃO

E também todos os dias 
Grelhados de Carne e Peixe!

Marque já a sua mesa:
936 864 602 ou 212 482 119



José Alexandre desmente união a Zuñiga para gerir Campo Pequeno

José Alexandre é apoderado do rejoneador Andy Cartagena


"Ninguém desse site falou comigo, não sei de onde isso veio, fiquei tão surpreendido como o Miguel..." - José Alexandre desmente o site espanhol "Toros de Lidia", que ontem o referiu como associado a Carlos Zuñiga numa hipotética candidatura ao Campo Pequeno

"Estou no Algarve a passar umas férias com a minha mulher e os meus filhos e fiquei tão surpreendido como o Miguel ao ler o que li nesse site...", disse-nos agora mesmo José Alexandre da Silva, antigo e respeitado novilheiro e bandarilheiro, marido da famosa toureira espanhola Cristina Sánchez e actual apoderado, juntamente com Júlio Fontecha, do rejoneador Andy Cartagena.
"Ontem à noite telefonou-me o Carlos Zuñiga, também surpreendido com essa notícia, a perguntar se eu já a tinha lido. Não tinha, mas li de imediato. E não faço a mínima ideia de onde isso partiu, com que intenções foi escrito e com base em quê...", acrescentou, adiantando:
"O meu relacionamento com o empresário espanhol Carlos Zuñiga é igual ao que mantenho com quase todos os empresários, não é mais nem menos do que o relacionamento que existe entre mim e muitos mais empresários. Nunca falámos sobre o Campo Pequeno, ele nunca me disse nada sobre se tinha ou não intenção de gerir a praça, não sei de nada e o que lhe posso garantir é que, embora nunca diga que desta água não beberei, isso neste momento é uma coisa que está completamente fora dos meus projectos, até porque a minha vida por agora o impede, tenho outros projectos e outras coisas que me ocupam o tempo, além de que não tenho qualquer intenção de enveredar pela actividade empresarial taurina. E até lhe posso dizer mais: pela minha amizade e pelo respeito que tenho por ele, por todo o trabalho que fez, se alguma vez sonhasse com o Campo Pequeno, seria obrigatoriamente um sonho que teria com o Rui Bento e com mais ninguém. Mas, repito, é uma coisa que está completamente fora de questão e que desminto em absoluto".
"O texto é muito desfavorável e mesmo muito duro em relação a Zuñiga, percebe-se que há ali um ódio de estimação ao empresário por parte do jornalista, não faço a mínima ideia por quê, mas não entendo porque razão me meteu a mim ao barulho nessa história. Estou calmamente de férias no Algarve e de repente leio num site que sou candidato ao Campo Pequeno... Até poderia ser, repito, não é nada do outro mundo nem nada de anormal um taurino pretender gerir uma praça como a de Lisboa, mas volto a dizer: não há qualquer fundamento de verdade! A notícia chega a ser surrealista", acrescenta.
José Alexandre diz-nos ainda que enviou um e-mail, ontem mesmo, ao jornalista do site "Toros de Lidia" a desmentir a notícia:
"Não conheço o jornalista em questão, nunca falei com ele. Ele pode saber quem eu sou, mas eu não sei quem ele é. E muito menos sei que intenções e que objectivos o terão motivado a escrever uma coisa assim, que não tem pés nem cabeça e não tem qualquer ponto de verdade".

Fotos M. Alvarenga e Emílio de Jesus/Arquivo

Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje! Compre já os seus bilhetes: 914 094 038




Site espanhol "Toros de Lidia" divulga que Carlos Zuñiga quer o Campo Pequeno e vaticina que "será mais uma praça para levar à ruína"...

Site espanhol arrasa o empresário Carlos Zuñiga e diz que ele quer
ser empresário do Campo Pequeno. Empresário ainda não reagiu
José Alexandre e Cristina Sánchez assistindo a uma corrida no
Campo Pequeno, ao lado de Nuno e Miguel Alvarenga


O empresário espanhol Carlos Zuñiga quer ser o novo empresário do Campo Pequeno, assegura o site espanhol "Toros de Lidia". E avisa: "Outra praça mais para destruir"...

Percebe-se que o site torosdelidia.es e o jornalista Juanje Herrero (autor do artigo em questão, dado à estampa na noite de ontem) não simpatizam propriamente com o empresário espanhol Carlos Zuñiga (filho) - que há três anos se propôs gerir a praça portuguesa de Estremoz e depois a deixou após realizar uma só corrida (mano-a-mano João Moura Jr./Diego Ventura).
Diz o jornalista que Zuñiga é "um lobo com pele de cordeiro" e acusa-o de "ter um dia condenado o seu pai à miséria sem piedade, arrebatando-lhe a empresa que tinha criado há 30 anos". O empresário, filho do também empresário do mesmo nome, ainda não reagiu ao artigo ontem à noite dado à estampa no referido site e onde se revela que ele "tem agora um novo objectivo": a praça de toiros do Campo Pequeno.
"Lisboa é o objectivo, a imponente praça de toiros do Campo Pequeno é o sonho", escreve Juanje Herrero, vaticinando que será "outra praça mais que levará à ruína" e afirmando que "a primeira praça de Portugal não merece uns empresários assim".
E quando fala no plural - "empresários" - o jornalista está também a referir-se a José Alexandre da Silva, o antigo e conhecido novilheiro e bandarilheiro coruchense, sobrinho do famoso matador de toiros José Simões, marido da matadora de toiros Cristina Sánchez e hoje apoderado do rejoneador Andy Cartagena, um taurino respeitado em toda a Espanha e em todo o mundo tauromáquico.
Segundo o jornalista do site "Toros de Lidia", Carlos Zuñiga estará associado a José Alexandre neste projecto de "conquista" do Campo Pequeno e "está tentando e deixando ver-se por Portugal... buscando apoios". O texto acrescenta que "algumas línguas" falam do apoio a Zuñiga por parte "da família Telles".
O jornalista Juanje Herrero afirma que "Carlos Zuñiga tem parte das suas éguas em casa da prestigiada família portuguesa, totalmente grátis e em troca põe o cavaleiro português (refere-se a João Ribeiro Telles) em algumas corridas das suas praças. Isso chama-se interesse, aproveitar a situação e a necessidade de um toureiro, para ganhar algo em troca. O ano passado anunciou-o em Zamora, Aranjuez e Gijón. João Telles é muito melhor toureiro que tudo isso. Abre os olhos... ante as artimanhas de Carlitos".
Sobre o empresário Carlos Zuñiga, escreve ainda o jornalista: "Esta pessoa não tem valores. Só deixa cadáveres pelo caminho".

Fotos D.R. e Emílio de Jesus/Arquivo

Capa do "DN": "Distanciamento e protocolo semifurados na reabertura de fronteiras"

Não parece nada que estejam a dois metros uns dos outros...
Mais distância... para a próxima!

"Distanciamento e protocolo semifurados na reabertura de fronteiras", titula hoje o "Diário de Notícias" na primeira página

"O dia em que a fronteira reabriu com máscaras, distanciamento e protocolo 'meio' furado" - é o título da reportagem do "Diário de Notícias" de hoje, que aponta algumas falhas, sobretudo no que diz respeito ao distanciamento social, na cerimónia que ontem marcou, do lado português, em Elvas, a reabertura da fronteira do Caia e em que estiveram presentes os Chefes de Estado e os primeiros-ministros de Portugal e Espanha - Marcelo Rebelo de Sousa e o rei D. Filipe VI, António Costa e Pedro Sánchez.
"Um dia histórico, dois locais históricos, uma manifestação que afinal eram duas, um presidente que sem surpresa furou o protocolo e levou um rei a chegar-se perto das pessoas que os chamavam e ainda ouviu uma senhora dizer que gostava muito dele pois lembrava-lhe o filho. Ao que Filipe VI retribuiu com um sorriso por detrás da máscara e um aceno", escreve o "DN".
E acrescenta:
"Tal como aconteceu em Badajoz, também aqui houve protestos. Mas estes mais organizados e numa manifestação que afinal eram... duas. Uma do Partido Ecologista 'Os Verdes' que querem o fecho da central nuclear de Almaraz - que está em linha recta a 110 quilómetros da fronteira portuguesa - e outra da ProToiro-Federação Portuguesa de Tauromaquia contra as políticas do Governo para o sector".
A exigida distância social não foi desrespeitada apenas pelos governantes, mas também pelos manifestantes, quer os do partido "Os Verdes", quer os do sector tauromáquico.
Comportaram-se todos muito benzinho, até cantaram o Hino Nacional, não houve palavras de ordem, apenas cartazes exigindo igualdade com as outras actividades culturais, mas, verdade seja dita, no que respeita ao distanciamento social, estavam todos muito coladinhos uns aos outros...
É bom que se cuidem para a próxima!

Fotos Maria Mil-Homens e "DN"

Luis M. Pombeiro em entrevista ao site "Infocul": "É a corrida em que mais peço a Deus para que tudo corra bem!"



"Já não é a preocupação de perder ou não perder, é a preocupação de que tudo corra bem e esta corrida seja uma grande festa de união", diz o empresário Luis Miguel Pombeiro numa entrevista ao site "Infocul", a propósito da primeira grande corrida que no dia 11 se vai realizar em Estremoz e que será a primeira a nível mundial depois do desconfinamento

A venda de bilhetes para esta que será a primeira grande corrida de toiros a nível mundial depois do desconfinamento, iniciou-se na passada segunda-feira, através de marcações e reservas pelo telemóvel 914 094 038 e segundo o empresário, nesta entrevista a Rui Lavrador no site "Infocul", "está a decorrer muito acima de todas as expectativas".
Luis Miguel Pombeiro disse que “há uma pressão acrescida para que tudo corra bem, há uma pressão enorme para que tudo esteja em conformidade, não só por ser a primeira a nível mundial e por ter entidades internacionais que vão à corrida, mas para que tudo corra bem“ e destacou a vontade de que “tudo tenha as medidas implementadas, os dispensadores de gel, as máscaras, tudo…É um stress muito maior que o normal“.
O empresário confessou que  “já não é a preocupação de perder ou não perder. É a preocupação de que aquilo seja uma festa de união, em que o lema é 'Resistiremos' às medidas que nos têm imposto e ao facto de nos desrespeitarem relativamente à nossa cultura. E para que tudo corra bem, para que não nos possam apontar nada, nem à organização, nem ao público, nem aos cavaleiros, nem aos toiros. É talvez a corrida em que eu mais peço a Deus para que tudo corra bem“.
Com as novas medidas impostas pela DGS, relativamente a segurança, higiene e distanciamento físico, o empresário afirma que “a capacidade depende muito da venda de bilhetes. Porque se forem muitos bilhetes individuais tem de se deixar sempre uma cadeira de intervalo entre cada um deles. Se forem bilhetes familiares e coabitantes, já é diferente porque podem vir cinco pessoas, dez pessoas e depois com uma cadeira de intervalo. Portanto, neste momento, a lotação depende muito das pessoas que vão à corrida. Não sei ainda um limite“, adiantando que “no máximo dos máximos, consigo ter 1000/1100 pessoas, mas não é um número certo“.

Foto Infocul

Divórcio de Ponce domina as atenções em Espanha



O divórcio de Enrique Ponce e Paloma Cuevas domina todas as atenções na vizinha Espanha

A popular revista espanhola "Semana", que se publica há 80 anos, foi a primeira a dar grande destaque na sua capa da última edição ao caso que está a dominar todas as atenções em Espanha: o divórcio do matador de toiros Enrique Ponce e Paloma Cuevas, durante 24 anos um dos casais mais badalados do país vizinho.
A revista adianta que o casal já deu início aos trâmites para o divórcio, decidido de maneira cordial entre ambos e assegura que fontes próximas dos dois garantem que "não há terceiras pessoas, que se saiba, envolvidas na separação" e que o motivo principal terá sido mesmo "o desgaste da relação".

Fotos "Semana"

Ontem, 4ª feira: 9.921 leram o "Farpas"



Visualizações de páginas de hoje
2 502
Visualizações de página de ontem
9 921
Visualizações de páginas no último mês
247 847
Histórico total 
de visualizações 
de páginas
28 941 197

quarta-feira, 1 de julho de 2020

Centenário de Amália: RTP esqueceu o filme "Sangue Toureiro"?

Amália e Diamantino Vizeu, dois ídolos de Portugal, foram os
protagonistas do primeiro filme a cores da História do Cinema em
Portugal, "Sangue Toureiro". Em baixo, o cartaz do filme quando
foi exibido em Espanha


A RTP 1 está a anunciar, a propósito do centenário de Amália, e exibição dos filmes "Capas Negras" e "História de uma Cantadeira". Parece ter esquecido "Sangue Toureiro", em que a Diva contracena com Diamantino Vizeu...

Maurício do Vale, reconhecido crítico tauromáquico e antigo comentador e autor de um programa semanal de Tauromaquia na RTP, lamentou ao "Farpas" que, a propósito do centenário de Amália, que se celebra neste mês de Julho, o canal público esteja a anunciar a exibição, em breve, de dois filmes protagonizados pela Diva - "Capas Negras" e "História de uma Cantadeira" - e "se tenha esquecido de outro, 'Sangue Toureiro', que por sinal foi o primeiro filme a cores realizado em Portugal" e em que Amália Rodrigues contracena com Diamantino Viseu, o célebre toureiro que em 1947 se tornou o primeiro matador de toiros nacional (fotos).
"Sangue Toureiro", realizado por Augusto Fraga em 1958, é um melodrama romântico sobre a trajectória do filho de um rico lavrador que se deixa seduzir por uma bela fadista e pela vida boémia de Lisboa. Torna-se toureiro e acaba por ser abandonado pela fadista, a pedido da mãe dele, casando com a sua noiva original depois de uma colhida na arena. 
"Sangue Toureiro" foi a primeira longa metragem a cores do cinema nacional, onde Fraga adapta habilmente a fórmula "fado e toiros" a uma história de paixões perigosas e arrebatadoras que foi na época da sua estreia um grande sucesso. 
Destaque para as já referidas presenças de Amália Rodrigues e Diamantino Viseu à cabeça de um elenco que conta ainda com as participações de Josefina Silva (mulher do grande António Silva), Fernanda BorsattiCarmen Mendes, Paulo Renato e Raul Solnado.
Esperemos que a RTP ainda se lembre deste filme e o exiba também - pela importância que teve por ser o primeiro a cores e também pelo facto de ter sido protagonizado por dois grandes ídolos deste país.

Fotos D.R.

"Estamos aqui!": Toureiros e Forcados em Elvas com os governantes de Portugal e Espanha

Os primeiros-ministros e os Chefes de Estado de Portugal e Espanha
presentes hoje no acto de reabertura da fronteira Elvas/Badajoz
Toureiros e Forcados em defesa da Tauromaquia hoje em Elvas
Os cavaleiros António Telles, João Moura Jr., João Telles e, atrás,
Hugo Ferro, da Associação Nacional de Toureiros
Os cavaleiros Marcos Bastinhas, Nuno Pardel (presidente da
Associação Nacional de Toureiros) e Francisco Palha
O empresário Luis Miguel Pombeiro, promotor da corrida de
reabertura da Cultura Tauromáquica no próximo dia 11 em Estremoz
e Diogo Durão, presidente da Associação de Forcados
O Presidente português e o Rei de Espanha e, na foto de baixo, os
chefes dos dois Governos, António Costa e Pedro Sánchez


Aqui ficam algumas fotos da nossa companheira Maria João Mil-Homens da cerimónia que esta manhã teve lugar no Castelo de Elvas, depois de uma outra que decorreu em Badajoz, para assinalar a reabertura da fronteira Elvas/Badajoz - com as presenças dos Chefes de Estado dos dois países, Marcelo Rebelo de Sousa e o rei D. Filipe VI e dos primeiros-ministros António Costa e Pedro Sánchez.
Junto ao Castelo, como já aqui noticiámos, concentraram-se toureiros e forcados, comvocados pelas respectivas associações, reclamando igualdade em relação às restantes actividades culturais.

Fotos Maria Mil-Homens


Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje! Compre já os seus bilhetes: 914 094 038