segunda-feira, 10 de agosto de 2020

Dia 27: a terceira grande noite do ano na Nossa Casa

 

António José Cardoso reforça esclarecimento da Toiros & Tauromaquia: "Só vendemos 50% dos bilhetes"

O jovem empresário António José Cardoso (foto), da Toiros & Tauromaquia, reafirmou hoje ao "Farpas" que, contrariamente o que pareceu, a empresa vendeu "apenas 50% da lotação da praça no último sábado, como está imposto nas novas regras da IGAC e da DGS".

"O facto de parecer que as bancadas estavam cheias deve-se a que, tal como aconteceu na corrida que à mesma hora se realizou na Barquinha, as pessoas se encostarem para trás nos lugares e deram assim a impressão de que não existia entre elas uma fila vazia. Mas garanto que vendemos apenas e só os 50% da lotação que são permitidos", frisa António José, confirmando o que já ontem fora esclarecido por sua irmã Margarida e também pela responsável pelas bilheteiras da empresa, Carla Santos.

Esta sexta-feira, dia 14 (22h00), volta a haver toiros em Alcochete, uma grande corrida com um curro imponente da ganadaria Fernandes de Castro, que sábado ganhou no Concurso de Ganadarias o prémio de bravura.

Actuam os cavaleiros Luis Rouxinol, Filipe Gonçalves e Marcos Bastinhas, que disputam um troféu para o melhor par de bandarilhas; e pegam os grupos de forcados Amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete (que comemoram o 55º aniversário na sua terra) e Amadores de São Manços (que também celebram esta temporada os 55 anos da sua fundação).

Entretanto, António José Cardoso, filho do saudoso "Nené", que sofreu uma lesão no ombro quando pegou o quinto toiro da corrida de sábado, de Canas Vigouroux, disse hoje ao "Farpas" que só deverá ser operado no final da temporada, manifestando mesmo o desejo de "ainda voltar a pegar este ano".

Foto M. Alvarenga


Joaquim Veríssimo recebeu a alternativa em Beja há 34 anos

O cavaleiro alentejano Joaquim Veríssimo, entretanto afastado das lides, comemora hoje 34 anos de alternativa, efeméride que aqui relembramos. 

Veríssimo foi apadrinhado por João Moura (foto), com o testemunho de Joaquim Bastinhas, na corrida que a 10 de Agosto de 1986 (cartaz em baixo) se realizou na praça de toiros de Beja.

Pegaram nessa tarde os grupos de forcados Amadores de Montemor e Amadores de Évora, então respectivamente capitaneados por Paulo Vacas de Carvalho e o saudoso João Nunes Patinhas. Lidaram-se toiros da ganadaria Varela Crujo.

Foto Emílio de Jesus/Arquivo


Tourada Real na Barquinha em Setembro

Depois do êxito no último sábado (foto), o empresário José Gonçalves volta a realizar uma corrida de toiros na praça de Vila Nova da Barquinha a 12 de Setembro (sábado, às 22h00).

Será a Tourada Real, que nos últimos anos se realizou em Salvaterra de Magos. Lida-se nessa noite um curro de toiros da ganadaria Monte Cadema, de Nuno Cabral e o cartel, ainda sem confirmação oficial, pode ter como cabeça de cartaz o cavaleiro Marco José para comemorar os seus 25 anos de alternativa e muito provavelmente Manuel Telles Bastos e Marcos Bastinhas. Os grupos de forcados não estão ainda definidos.

Foto Carlos Pedroso


Campo Pequeno: Grupos de Montemor e Alcochete na corrida dos Veiga Teixeira

Quem triunfa, repete - é o lema do empresário Luis Miguel Pombeiro para a temporada de 2020 no Campo Pequeno. E é a razão porque, depois do memorável triunfo na última quinta-feira com os toiros Murteira Grave, o glorioso grupo de forcados Amadores de Montemor vai regressar a Lisboa na primeira corrida da segunda parte, a 3 de Setembro, para pegar os temidos toiros de Veiga Teixeira, mais uma ganadaria dura e sério no abono da primeira praça do país.

Com os Amadores de Montemor, virão competir a Lisboa os Amadores de Alcochete, depois da noite apoteótica que protagonizaram no último sábado na praça da sua terra (fotos de baixo). Para grandes toiros, grandes forcados!

O cartel será de seis cavaleiros. Pombeiro tem vários nomes sobre a mesa, mas o elenco não está ainda decidido. Podem repetir no Campo Pequeno dois dos cavaleiros triunfadores da primeira parte da época e rematar o cartel quatro outros cavaleiros que este ano ainda não se apresentaram em Lisboa. Nos próximos dias haverá fumo branco.

Fotos M. Alvarenga


António J. Ferreira único matador na corrida mista do Campo Pequeno

Depois de na última semana ter chegado a equacionar a presença de Pedrito de Portugal, o empresário Luis Miguel Pombeiro decidiu-se por fim a manter o cartel inicial que tinha previsto para a corrida mista de 10 de Setembro no Campo Pequeno, em que se lidarão seis toiros da ganadaria Vinhas na comemoração dos 70 anos da sua fundação.

António João Ferreira (foto) será o único matador, regressando a Lisboa depois da violenta colhida que no ano passado ali sofreu e o obrigou a parar a temporada. A cavalo, actuam António Ribeiro Telles e Francisco Palha. Não estão ainda definidos os dois grupos de forcados que pegarão nesta corrida.

Foto Emílio de Jesus/Arquivo


Paco Velásquez fala ao "Farpas" do memorável triunfo na Barquinha: "Foram momentos únicos!"

"Depois do último ferro e da pirueta com o cavalo Mazantini no primeiro toiro, foi emocionante olhar para a bancada e ver o público de pé, foram momentos únicos!" - diz-nos Paco Velásquez, sobre a noite inesquecível e triunfal que viveu no último sábado na praça de toiros de Vila Nova da Barquinha (fotos), onde fez a prova para cavaleiro praticante, seis anos depois de ter recebido no México a alternativa de matador de toiros, o que faz dele um dos mais completos artistas do mundo tauromáquico actual.

Natural da vila de Riachos, o jovem toureiro teve a acarinhá-lo o seu público, mas também os muitos aficionados que ali marcaram presença, vindos de outras localidades do país para assistir a esta primeira corrida da temporada na Barquinha, uma promoção do dinâmico empresário José Gonçalves.

Paco Velásquez obteve no primeiro toiro, o da prova, um triunfo memorável e pôs a praça "do avesso" lidando superiormente um belíssimo exemplar da ganadaria de Maria Guiomar Cortes de Moura que, como já aqui referimos, foi "indultado" pela sua bravura e excelentes qualidades de lide evidenciadas.

Esta era a primeira vez que Paco Velásquez lidava em praça dois toiros e o próprio fez questão de enfrentar dois exemplares desta prestigiada ganadaria, ambos com mais de 550 quilos, considerando, como nos disse, que "foi um risco assumir lidar dois toiros com a presença que estes tinham, mas queria que a minha prova de praticante não fosse mais uma e pudesse dar um passo firme em frente".

E acrescenta: "Acertámos! O primeiro toiro foi de sonho, tendo sido indultado e regressado ao campo; o segundo, com outras características, também me permitiu desfrutar com ele".

Depois da sua brilhante trajectória como matador de toiros - de que não abdicou, embora neste momento esteja mais centrado no toureio a cavalo, um sonho que alimentava desde pequeno - Paco Velásquez debutou em público como cavaleiro amador a 4 de Fevereiro de 2018 na praça espanhola de Olivares, repartindo cartel com Rui Fernandes, Diego VenturaLeonardo Hernández, Andrés Romero e a portuguesa Mara Pimenta, toureando nesse ano mais dois festejos em Espanha.

No ano seguinte toureou dois festejos em Espanha e fez a sua estreia em França actuando em Mejanes na prestigiada Corrida do Rojão de Ouro, de homenagem a Diego Ventura, "onde cortei uma orelha com força", recordou.

Já neste ano de 2020 e antes do confinamento, Paco Velásquez obteve um sonante e muito aplaudido triunfo no festival que em Fevereiro se celebrou na Granja e onde enfrentou um novilho da ganadaria Ribeiro Telles.

Paco Velásquez chegou à prova de praticante no último sábado na Barquinha com sete festejos toureados como cavaleiro amador nos três anos de uma, recorda, "carreira curta como cavaleiro, depois de também há três anos ter começado a montar, com o grande apoio de Diego Ventura".

Depois do notável triunfo de sábado, Paco Velásquez tem já algumas corridas agendadas para esta temporada atípica e os empresários - e o público - têm os olhos postos na nova estrela do toureio equestre.

Fotos Maria Mil-Homens

Momentos do grande triunfo de Paco Velásquez no sábado na Barquinha


Andrés Romero em Agosto na Nazaré e na Figueira da Foz

O rejoneador espanhol Andrés Romero (na foto, com Miguel Alvarenga) actuará neste mês de Agosto em duas corridas em Portugal - a 22 na Nazaré e a 29 na Figueira da Foz -, marcando assim o seu regresso ao nosso país, onde, escreve o site cultoro.es, "se tornou um dos rejoneadores fixos graças à gestão do seu apoderado em terras lusas, António Nunes".

No dia 22 na Nazaré (primeira das duas corridas que Rui Bento ali promove esta temporada), praça onde Andrés Romero obteve sonantes triunfos em 2017 e 2018 (saindo neste último ano em ombros), o rejoneador formará cartel com Luis Rouxinol e João Moura Júnior frente a toiros da prestigiada ganadaria Ascensão Vaz. Os dois cartéis da Nazaré deverão ser nos próximos dias anunciados por Rui Bento, mas podemos adiantar que primeira corrida deverão pegar os forcados de Santarém e Montemor, sendo a segunda uma corrida (5 de Setembro) de seis cavaleiros.

A 29 na Figueira da Foz, na segunda das duas corridas comemorativas do 125º aniversário da inauguração do emblemático Coliseu Figueirense, o toureiro sevilhano reparte cartel com os cavaleiros portugueses Rui Salvador, Luis Rouxinol, Luis Rouxinol Júnior e os praticantes Soraia Costa e Joaquim Brito Paes, estando as pegas a cargo dos grupos de forcados de Coruche, Monforte e Coimbra e lidando-se toiros das ganadarias de Santo Silva e de António Valente.

Foto Maria Mil-Homens


Bilhetes já à venda para a terceira grande noite do Campo Pequeno

 

Filho de Marie Sara estreia-se como novilheiro em França

Lalo de Maria é o nome artístico com que se anuncia o novo novilheiro francês que este domingo se estreou em praça actuando na corrida mista celebrada em Saintes Maries de la Mer e que foi a primeira em França depois do desconfinamento. O jovem toureiro, que foi silenciado no primeiro novilho e aplaudido no segundo (ambos da ganadaria de Roland Durand) é filho da empresária e antiga rejoneadora Marie Sara.

Alternou nesta sua primeira corrida com o matador Juan Leal, que cortou as duas orelhas ao seu primeiro toiro e mais uma ao segundo, reafirmando o seu estatuto de figura; e com a rejoneadora Lea Vicens, que também obteve notável triunfo, cortando as duas orelhas ao seu segundo toiro, depois de ter sido ovacionada no primeiro. Destaque para a excelente e muito notada prestação do seu bandarilheiro de confiança, o português Joaquim Oliveira.

Lea e Juan Leal lidaram toiros da ganadaria Gallon.

Foto Daniel Chicot/aplausos.es


Joaquim Grave e Marismero: o reencontro na Galeana

A Festa de Toiros é feita de momentos e de emoções. E este é um daqueles que tem um significado muito particular. Muito mesmo. Retrata o momento em que o ganadeiro Joaquim Grave e o toiro Marismero se reencontraram no campo, na Herdade da Galeana, onde este toiro regressou depois de ter sido "indultado" na última quinta-feira no Campo Pequeno, mercê da sua bravura, da sua codícia, da sua raça e da sua nobreza, apanágios da emblemática ganadaria Murteira Grave

Foi magistralmente lidado pelo cavaleiro Manuel Ribeiro Telles Bastos e superiormente pegado pelo grande forcado Bernardo Dentinho, dos Amadores de Montemor. O director de corrida João Cantinho premiou-o com "volta ao ruedo" e o público tributou-lhe aquela que foi uma das maiores ovações da noite. No final, o ganadeiro teve honras, como já as tivera no terceiro toiro da corrida, de vir à arena agradecer também uma calorosa ovação do público em reconhecimento pela nota altíssima do seu toiro. Fê-lo nas duas ocasiões acompanhado por suas filhas.

Mais emotivo e mais significativo e a marcar por isso de forma muito especial este reencontro é ainda o facto de ter sido este o o toiro que em Setembro do ano passado colheu gravemente o ganadeiro Joaquim Grave quando este procedia a trabalhos no campo, infringindo-lhe uma violenta cornada na coxa e atirando-o para cima do muro do tentadero, salvando-lhe deste modo a vida.

Agora foi a vez de Joaquim Grave salvar a vida ao toiro que o ia matando, "indultando" o Marismero na noite de quinta-feira passada e trazendo-o de volta ao campo para semental da ganadaria. Depois do drama, a emoção de todas as alegrias.

Foto D.R./@Murteira Grave


O Menu desta semana no "Solar das "Carnes" (Odivelas)

 

Bandarilheiro espanhol Carlos Donaire nos Cuidados Intensivos após "angustiante colhida" no campo

O bandarilheiro espanhol Juan Carlos Donaire sofreu uma grave colhida quando coadjuvava o matador "El Dani" na lide de dois toiros na ganadaria de Hermanos Boyano e está internado na Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Virgen de la Concha, na cidade espanhola de Zamora.

O toureiro sofreu "uma colhida espectacular e angustiante", relata ao site aplausos.es a equipa do matador "El Dani", tendo sido enganchado pelo peito e sofrendo vários derrotes que provocaram a fractura de duas costelas e ainda lesões na caixa toráxica e no peito.

Carlos Donaire deverá permanecer pelo menos dois dias nos Cuidados Intensivos e se não surgirem maiores complicações será depois transferido para o hospital da sua zona residencial, Calahorra, informam os sites mundotoro.com e aplausos.es.

O toureiro acordou hoje sem febre, o que é um bom sinal, adiantam os sites taurinos espanhóis.

Foto D.R./Arquivo


Alcochete: Famosos (mascarados) pela objectiva de Mónica Mendes

Apesar das máscaras, apesar de fazer pouco sentido, como já aqui dissemos, publicar fotos de social nesta fase da "nova normalidade" - que há-de durar a temporada toda e não sabemos ainda se a próxima também... - aqui deixamos mais alguns registos, pela objectiva de Mónica Mendes, de alguns Famosos "avistados" - e mascarados - na corrida que no sábado se celebrou na castiça praça de Alcochete.

Fotos Mónica Mendes

Dr. Vasco Lucas
Margarida Prates, mãe do cavaleiro António Prates
Vanda Ferreira
O jovem repórter fotográfico Tomás Carvalho
Presidente da Câmara de Alcochete presidiu à corrida
Graça Cardoso
Concha Rodríguez, João Moura Jr. e João Soller Garcia
O matador Luis Procura (à esquerda)
Pedro Horta Osório
Cláudia Lobo
Margarida Calqueiro e Ana Pimenta
O cavaleiro Marcelo Mendes
O empresário Rui Palma

Estremoz: toureiros no Castelo em sessão fotográfica

O cavaleiro Francisco Cortes comemora os seus 25 anos de alternativa numa grande corrida nocturna no próximo dia 5 de Setembro na praça de toiros da sua terra natal, Estremoz, que em Julho foi palco da primeira grande corrida a nível mundial depois do desconfinamento.

Na semana passada, Francisco Cortes e seu filho, o cavaleiro praticante Francisco Maldonado Cortes, que também actuará na corrida (terceira geração da ilustre dinastia de cavaleiros tauromáquicos iniciada por Mestre José Maldonado Cortes e seu irmão Afonso) agitaram Estremoz passeando no Castelo trajados a rigor para uma sessão fotográfica a cargo de António Santos (de aqui ficam algumas fotos). Os dois cavaleiros estiveram acompanhados pelo patriarca José Maldonado Cortes e pelo apoderado e empresário Fernando Canto.

A corrida do próximo dia 5 (sábado), com início às 22h00, tem um aliciante cartel formado pelos cavaleiros Luis Rouxinol, Francisco Cortes, Miguel Moura, Luis Rouxinol Júnior, o praticante António Ribeiro Telles e o amador Francisco Maldonado Cortes e pelo valoroso grupo de forcados Amadores de Évora, sob o comando de João Pedro Oliveira, que pega em solitário os seis imponentes toiros da afamada ganadaria Branco Núncio.

Já há bilhetes à venda no Quiosque do Rossio e pode também fazer as suas reservas pelo telemóvel 926 762 046.

Fotos António Santos


Imponentes toiros de Castro esta 6ª feira em Alcochete

Depois da triunfal corrida deste sábado, a praça de toiros de Alcochete é palco da segunda e última corrida da Feira do Toiro-Toiro já na próxima sexta-feira, dia 14, a partir das 22h00, com seis imponentes toiros da ganadaria Fernandes de Castro (fotos), vencedora do prémio de bravura no Concurso de Ganadarias.

Vão lidar os poderosos Castros os cavaleiros Luis Rouxinol, Filipe Gonçalves e Marcos Bastinhas, disputando um troféu para o melhor par de bandarilhas.

Esta corrida é comemorativa dos 55 anos da fundação do valoroso grupo de forcados Amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, capitaneado por Marcelo Lóia, que reparte cartel com os Amadores de São Manços, comandados por João Fortunato, grupo que também assinala esta temporada o seu 55º aniversário.

Fotos T. Caeiro/Toiros & Tauromaquia


Salvaterra de Magos evoca em Exposição as suas Figuras da Festa Brava


Assinalando o centenário da inauguração da praça de toiros local, está patente até 21 de Setembro na Biblioteca Nacional de Salvaterra de Magos uma Exposição dedicada às Figuras da Festa Brava daquele concelho - de que aqui ficam algumas fotos e o conselho para visitar.
Também no exterior da praça de toiros decorre até 21 de Setembro uma outra Exposição sobre "A Praça de Toiros de Salvaterra de Magos ao longo da História".

Fotos D.R.


 

Desinfeções Anti-Vírus - Serviço 24h em todo o país - ligue 915 063 500 ou 969 079 297

 

Barquinha: foto-reportagem de Maria João Mil-Homens

Triunfo importante de João Moura Caetano no primeiro toiro da noite na corrida de sábado em Vila Nova da Barquinha e também um êxito notável de Miguel Moura no segundo do seu lote, ambos da ganadaria de Paulo Caetano, muito bem apresentados, destacando-se o quarto.

Paco Velásquez passou com distinção na prova para cavaleiro praticante com um belíssimo toiro de Maria Guiomar Moura que foi "indultado".

Pegas rijas e duras dos dois grupos de forcados da Chamusca, os Amadores e os do Aposento, como ontem aqui referimos.

Uma aposta ganha pelo novo e dinâmico empresário José Gonçalves, que volta a dar esta temporada outra corrida na Barquinha, uma Tourada Real cujo cartel em breve será anunciado.

Ficam algumas fotos de Maria João Mil-Homens de uma corrida agradável e a que o público correspondeu, registando uma boa entrada.

Fotos Maria Mil-Homens

Moura Caetano bordou o toureio no primeiro toiro da noite
Miguel Moura: grande triunfo no seu segundo toiro
Paco Velásquez: o matador que se tornou cavaleiro
Amadores da Chamusca: duas pegas à primeira e uma à segunda
Aposento da Chamusca honrou jaquetas em noite dura
Luis M. Pombeiro e Família com João Moura
Paco Velásquez brindou um toiro ao ilustre ganadeiro Armando J. Moura